Abertura dos portos foi primeiro passo do país rumo à globalização, diz Ricupero

Abertura dos portos foi primeiro passo do país rumo à globalização, diz Ricupero
Publicidade

da Folha Online

Hoje na Folha A abertura dos Portos às Nações Amigas foi assinada pelo então príncipe regente d. João 6º em 28 de janeiro de 1808. Nos 200 anos da data, o embaixador e ex-ministro da Fazenda Rubens Ricupero afirmou que o ato foi o primeiro passo do Brasil rumo à globalização, informa nesta segunda-feira reportagem da Folha (íntegra disponível para assinantes do UOL e do jornal).

Em entrevista à Folha, Ricupero, que acaba de organizar o livro “A Abertura dos Portos” (Senac), fala sobre a influência inglesa, que culminou nos privilégios dos “Tratados Desiguais”, de 1810, e compara o passado com a OMC e a Alca.

“Até 1808, o Brasil tinha superávit no comércio externo; a partir daí, passa a ter déficit sempre. A abertura foi um passo da globalização brasileira. É a estréia dela, já que o espírito da globalização é a abertura dos mercados. Mas sempre me impressionou um paradoxo sobre a abertura: ninguém duvida da sua importância capital, mas raros lhe dedicam mais do que quatro ou cinco linhas ao episódio em si. A maioria dos brasileiros acredita que 1808 foi uma imposição da Inglaterra, o que não é verdade”, disse.

Folha Online – Brasil – Abertura dos portos foi primeiro passo do país rumo à globalização, diz Ricupero – 28/01/2008.

Monarquia em Ação
Um grupo de amigos reunidos para divulgar, difundir, apoiar, os esforços de todos os brasileiros para restaurar a forma monárquica de governo.
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply