Príncipe Dom Luiz Philippe organiza nova Constituição para o Brasil

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão – serrao@alertatotal.net
O movimento Avança Brasil vai apresentar, brevemente, para debate, uma proposta de nova Constituição para o Brasil. A Carta Magna está quase finalizado por uma equipe de livres pensadores e juristas, sob coordenação do cientista político Luiz Philippe de Orleans e Bragança – um dos herdeiros da Família Imperial brasileira tirada do poder pelo golpe de 15 de novembro de 1889. O anúncio foi feito ontem pelo Príncipe, durante a 22ª Edição da Jornada Maçônica do Estado de São Paulo, para um público de 300 maçons, no auditório da Unisantana. O evento teve a coordenação geral do professor José Renato dos Santos.
A base da nova Constituição é republicana e federalista. Ela prevê mecanismos de controle da sociedade sobre a máquina estatal e seus poderes. A intenção estratégica é propor uma Carta que institua pilares para um Estado garantidor da Liberdade exercida pelos cidadãos. O texto irá privilegiar o princípio da subsidiariedade – palavra difícil de pronunciar, mas que significa facilitar a solução de problemas e conflitos pela via do debate civil, e não pela custosa e demorada e judicialização.
Outro foco é fortalecer o poder local, nos municípios, comunidades ou distritos. O voto distrital entra na ordem do dia, com voto eletrônico, porém com conferência impressa do resultado. A nova Carta promoverá um choque de descentralização de poder. O plano é adotar princípios do “Ordo liberalismo” – segundo o qual a função do Estado é garantir a livre iniciativa, impedindo a concentração do poder estatal, no molde “socialista”, “comunista” ou “capitalista de Estado”.
Os fundamentos para a nova Constituição estão expostos no livro “Por que o Brasil é um País atrasado?” – que Luiz Philippe lança no próximo dia 5 de outubro, a partir das 19 horas, na Livraria Cultura do Shopping Iguatemi, em São Paulo. Editado pela “Novo Conceito”, com apenas 255 páginas, o livro explica, de forma didática e fácil de entender, soluções possíveis para problemas brasileiros. Luiz Phiippe ressalta: “A melhor arma contra o despotismo de governos e de interesses globalistas é a sociedade comandada por valores explícitos e coesos em pleno exercício de sua soberania e de seu modo de viver em seu território”.
O Príncipe Luiz Phillipe defende que precisamos criar mecanismos de Democracia Direta de controle da sociedade sobre o Estado. Segundo ele, refletindo a visão do movimento Avança Brasil, a sociedade tem de agir localmente contra a excessiva interferência ilegítima do Estado que tem o monopólio da gestão da coisa pública, marginalizando a sociedade que vive super regulada. Por isso, Luiz Philippe prega: “Não precisamos de salvador da Pátria em pleno século 21. A nova Coisa Pública tem de ser gerenciada entre o corpo do Estado e a sociedade atuante”.
Descendente de Dom Pedro I, II e Princesa Isabel, Luiz Philippe de Orleans e Bragança aposta tudo na Nova Constituição que o Avança Brasil oferecerá ao amplo debate: “O Brasil é uma idéia viva que deve ser defendida e protegida. O Brasil desenvolvido, confiante e soberano não pertence a governo algum e já está rompendo, por contra própria, com a velha política e os dogmas do século 20 que o amarraram na subserviência. Esse Brasil aguarda nossa resolução para entrarmos de vez para o século 21”.
O esboço constitucional do Avança Brasil acolherá contribuições de grupos de estudos não só no mundo acadêmico tradicional, mas sobretudo de pesquisadores e livres pensadores nas Forças Armadas e no Judiciário. Também conta com material já elaborado por Thomas Korontai, para o Instituto Federalista, no livro “Uma nova Constituição para uma nova Federação”, de 215 páginas, publicado em 2011. O mesmo acontece com conceitos elaborados por Antônio José Ribas Paiva, da União Nacionalista Democrática, na publicação “O Fio da Meada” – estudada nos meios militares. A juventude do MBL vem com tudo para debater a “Carta do Príncipe” (apesar do estranho acordo com o João Dória)… E quem mais estiver disposto a colaborar será bem vindo ao desafio de reinventar o Brasil…
Certamente, o debate político e econômico fugirá da viciada pobreza de idéias depois que o movimento Avança Brasil viralizar a Constituição concebida pela equipe coordenada por Luiz Philippe de Orleans e Bragança. Teremos a chance de promover a inédita “Intervenção Institucional” pela via democrática, com toda a legitimidade dada pela pressão direta popular. Os golpistas do Crime Institucionalizado terão bons motivos para mudar do Brasil para o quinto dos infernos…
Consertar o Brasil é fundamental para o equilíbrio de um mundo que caminha para guerras extremistas. Por isso, não temos mais tempo a perder… A Nova Constituição nos ajudará a formar um Núcleo Monolítico de Poder que permitirá à sociedade manter a integridade institucional usurpada pelo Crime.

Leave a Reply