Lançamento de CD com músicas dos tempos de D. João VI

Recebemos da Prof. Sandra Ramon, atraves do Orkut, uma notícia excelente para os apreciadores da boa música. O link abaixo leva para a página que está divulgando o CD.

Prefeitura do Rio lança CDs em comemoração aos 200 anos da chegada da Família Real ao Brasil.

“Modinhas Cariocas” e “Te deum e Requiem”, do Padre José Maurício Nunes Garcia, são os dois primeiros álbuns a chegar ao mercado, em março.

Em comemoração aos 200 anos da chegada da Família Real Portuguesa ao Brasil, a Prefeitura do Rio lança a série de CDs “A Música na Corte de D. João VI”. Com produção executiva da Zucca produções, os discos serão distribuídos em todo o Brasil e no exterior pela Biscoito Fino.

Os álbuns têm direção geral e curadoria do Maestro Edino Krieger e coordenação artística do Maestro André Cardoso. O CD “Te Deum e Requiem”, do Padre José Maurício Nunes Garcia, foi gravado em dezembro, na Sala Cecília Meirelles, no Rio de Janeiro. O registro contou com Coro e Orquestra Sinfônica da UFRJ, sob a regência do maestro Ernani Aguiar, tendo como solistas Veruschka Mainhardt, Carolina Faria, Geilson Santos e Maurício Luz. Padre José Maurício foi o mais importante compositor brasileiro do período e esta é considerada sua obra-prima. Por ordem de D. João VI, escreveu o Réquiem para as exéquias de D. Maria I. No mesmo dia da morte da Rainha faleceu também a mãe do compositor. Não há como não associar os sentimentos que perpassam musicalmente a obra ao falecimento de sua própria mãe. “O Requiem fora escripto com lágrimas bem íntimas e sinceras”, afirmaria anos mais tarde o Visconde de Taunay.

Já “Modinhas Cariocas”, que tem direção musical de Marcelo Fagerlande, foi gravado na Escola de Música da UFRJ e traz no repertório os modinheiros que se destacaram no começo do século XIX. Joaquim Manoel da Camera – o maior compositor do gênero daquela época – está representado por dez modinhas, com destaque para “Estas lágrimas, “Desde o dia em que eu nasci” e “Graças aos céus”. Fagerlande inovou nesse trabalho, fugindo do modelo tradicional voz e piano – utilizado na canção clássica – e adicionando outros instrumentos, como cravo, viola de arame e flauta de madeira. Outra referência no assunto é Gabriel Fernandes da Trindade, que teve cinco músicas de sua autoria incluídas neste álbum. De Cândido Ignácio da Silva foram gravadas três modinhas e o lundu “Lá no Largo da Sé”. O pesquisador e cravista Marcelo Fagerlande, com formação musical na Alemanha, no Brasil e na França, assina a direção musical do projeto, além de tocar cravo. Completam o quinteto os instrumentistas Luciana Costa e Silva, Marcelo Coutinho, Marcus Ferrer e Paulo da Matta.

Ainda no primeiro semestre, serão lançados mais dois CDs da série. “Missa de Nossa Senhora da Conceição”, também do Padre José Maurício Nunes Garcia, será gravado na Sala Cecília Meirelles, entre os dias 3 e 6 de março e na Igreja Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé, nos dias 07 e 08 de março. A gravação é da Orquestra Sinfônica Brasileira e o Coro Calíope, sob regência do Maestro Roberto Minczuk, com os solistas Rosana Lamosa, Lina Dias, Adriana Clis, Fernando Portari, Homero Velho e Rafael Thomas. O quarto CD da série é “O Sacro e o Profano na Corte de D. João VI”, gravado pelo Quarteto Colonial.

O projeto da Prefeitura, elaborado pela Zucca Produções e aprovado pela Comissão Carioca de Promoção Cultural e através da Lei de Incentivo Fiscal Municipal (Lei do ISS), tem por objetivo apresentar ao grande público a música ouvida na Corte de D. João VI.

Direção Geral – Edino Krieger Nascido em Brusque (SC), a 17 de março de 1928. Começou a estudar violino com seu pai aos 7 anos e, dos 10 aos 14 anos, realizou apresentações em várias cidades de Santa Catarina. Aos 14 anos, recebeu uma bolsa do Governo Estadual para continuar os estudos de violino no Conservatório Brasileiro de Música, no Rio de Janeiro. Lá estudou com o professor H.J.Koellreutter, passando a integrar o Grupo Música Viva, em 1945, ao lado de Cláudio Santoro, Guerra-Peixe, Eunice Catunda e outros discípulos do mestre. Em 1948/49 obteve bolsas de estudos para os Estados Unidos, onde trabalhou com Aaron Copland, no Berkshire Music Center, e com Peter Mennin, na Julliard de Nova York. Em 1955/56, com bolsa do Conselho Britânico, estudou em Londres com Lennox Berkeley. Paralelamente ao seu trabalho de composição, tem tido diversas atividades como organizador de eventos e dirigente de instituições públicas, como a Fundação dos Teatros do Estado do Rio de Janeiro, o Setor Musical da Rádio MEC e a Funarte. Durante alguns anos, presidiu a Academia Brasileira de Música e também o Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro. Atualmente, preside a Sociedade dos Amigos Ouvintes da Rádio MEC e integra o Conselho Estadual de Cultura.

Coordenação Artística – André Cardoso Violista e regente graduado pela Escola de Música da UFRJ, com Mestrado e Doutorado em musicologia pela Uni-Rio. Estudou regência com os Maestros Roberto Duarte e David Machado. Recebeu, durante três anos, bolsa da Fundação Vitae para curso de aperfeiçoamento na Argentina com o Maestro Guillermo Scarabino, na Universidade de Cuyo (Mendoza) e no Teatro Colón, de Buenos Aires.

Em 1994, foi o vencedor do Concurso Nacional de Regência da Orquestra Sinfônica Nacional, passando a atuar à frente de orquestras como a Sinfônica Brasileira, a Sinfônica da Paraíba, a Sinfônica de Minas Gerais, da Petrobrás Pró-Música do Rio de Janeiro e Sinfônica do Teatro Nacional de Brasília. Atua também como produtor fonográfico, tendo recebido o Prêmio Sharp e o Prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) pela gravação da ópera “Colombo”, de Carlos Gomes. Ë responsável pela direção das partes corais de diversos deenhos animados, como “Pocahontas”, “O Corcunda de Notre Dame”, “A Princesa Encantada”, “Anastácia” e o”O Príncipe do Egito”, em suas versões em português para o Brasil. Atualmente é o Diretor da Escola de Música da UFRJ e Maestro Assistente da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Coordenação de Produção – Zucca Produções A Zucca Produções atua no mercado artístico e cultural desde 2003 e é dirigida pela atriz e produtora Gisela de Castro e por Julio Augusto Zucca. Entre os projetos desenvolvidos pela empresa estão peças de teatro (Pequenino Grão de Areia, Procura-se Hugo, Quartett, Artoquato), Dança em Foco 2007, Rir é viver, Dança Criança, entre outros.

Faixas
01 Te deum (Das Matinas de São Pedro – 1809) Te deum iaudamus (Padre José Maurício Nunes Garcia) 4m57s

02 Te ergo quae sumus (Padre José Maurício Nunes Garcia) 1m54s

03 Aeterna Fac (Padre José Maurício Nunes Garcia) 1m14s

04 Dignare Domine (Padre José Maurício Nunes Garcia) 1m46s

05 In te Domine (Padre José Maurício Nunes Garcia) 2m34s

06 Requiem – 1816 (Padre José Maurício Nunes Garcia) 2m24s

07 Kyrie (Padre José Maurício Nunes Garcia) 1m26s

08 Graduale (Padre José Maurício Nunes Garcia) 5m02s

09 Dies Irae (Padre José Maurício Nunes Garcia) 6m32s

10 Ingemisco (Padre José Maurício Nunes Garcia) 3m25s

11 Inter Oves (Padre José Maurício Nunes Garcia) 2m08s

12 Offertorium (Padre José Maurício Nunes Garcia) 4m36s

13 Sanctus (Padre José Maurício Nunes Garcia) 0m53s

14 Benedictus (Padre José Maurício Nunes Garcia) 1m28s

15 Agnus Dei (Padre José Maurício Nunes Garcia) 2m25s

16 Communio (Padre José Maurício Nunes Garcia) 3m02s

Ficha Técnica

UMA REALIZAÇÃO BISCOITO FINO
Direção Geral: Kati Almeida Braga
Direção Artística: Olivia Hime
Gerente de Produto: Renata Mader
Assistente de Produção: Sylvia Medeiros

Biscoito Fino.

Monarquia em Ação
Um grupo de amigos reunidos para divulgar, difundir, apoiar, os esforços de todos os brasileiros para restaurar a forma monárquica de governo.
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply