Congresso Internacional Brasil como Reino Unido: 200 anos depois

Entre os dias 13 e 16 de outubro se realizou no Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, o Congresso Internacional Brasil como Reino Unido: 200 anos depois. Congresso esse com o propósito de através de análises multidisciplinares traçar um quadro do significado dessa elevação do Brasil à condição Reino, e a sua importância nesse contexto de união com os Reinos de Portugal e Algarves. Nesse Congresso o Instituto Brasil Imperial foi representado pelo Conselheiro Luís Severiano Soares Rodrigues.A abertura se deu no dia 13, com a conferência do presidente do IHGB, professor Arno Wehling, com o tema – Razões e Circunstâncias de um ato político: o Reino Unido, onde traça um panorama das argumentações historiográficas do interrelacionamento das causas Congresso Internacional Brasil como Reino Unido: 200 anos depois Da Redação 3 que levaram a essa, elevação do status político do Brasil, por Alvará régio de 16/12/1815, como forma inclusive de alavancar a posição portuguesa, como potência de primeira ordem no Congresso de Viena.
Entre outros pontos faz uma análise das questões institucionais e jurídicas implícitas ao ato, bem como a questão de que essa elevação se traduz na determinante que em 1822, os brasileiros frente ao reacionarismo das cortes de Lisboa, não irão aceitar ter a sua condição política rebaixada, e como uma unidade política superior, optarão pela separação e independência do seu Reino e o elevarão à condição de Império.
14/10 – Sessões realizadas no auditório da Fundação Casa de Ruy Barbosa. Temáticas – Questões Historiográficas (manhã) e O Reino Unido no quadro das Relações Internacionais. Sob a coordenação da professora Joëlle Rouchou (FCRB), realizaram-se as seguintes conferências: A elevação do Brasil a Reino no olhar dos historiadores oitocentistas (1815-1915) – Historiografia, pela professora Armelle Enders da Sorbonne, devemos destacar que a essa professora, se dedica a 25 anos, aos estudos sobre o Brasil. Como o título sugere se debruçou sobre a vasta historiografia sobre o Brasil do século XIX, estrangeira e brasileira e traçou um panorama de como e tema Reino Unido foi tratado ou não.
A elevação do Brasil a Reino Unido e a historiografia lusobrasileira, pela professora Lúcia Guimarães do IHGB/UERJ, que se dedicou especificamente a abordagem do tema pelos estudiosos brasileiros e portugueses. Oliveira Lima e o Reino Unido, pela professora Teresa Malatian, da UNESP, Estudiosa da obra de Oliveira Lima, analisa as postulações do mesmo, em um capítulo específico da sua obra monumental D. João VI no Brasil e como ele atribui a essa elevação como elemento fundamental na formação da nacionalidade brasileira. Com relação à prof. Malatian, devemos lembrar as suas importantes contribuições ao estudo do monarquismo moderno brasileiro com obras sobre o Patrionovismo, uma biografia de D. Luiz, o príncipe perfeito e recentemente sobre o grande intelectual monarquista, que foi o líder do movimento negro, Arlindo Veiga dos Santos.
Seguiram-se Debates.
Na parte da tarde, sob a coordenação do embaixador Luiz Felipe Lampreia (IHGB), ex-ministro das Relações Exteriores, tivemos: A Diplomacia Portuguesa no Congresso de Viena, pelo professor Antônio Celso Alves Pereira do IHGB/UERJ, que fez uma análise completa dos elementos conjunturais envolvidos nos bastidores do Congresso de Viena, e o problema de assimetria de poder que impôs o protagonismo dos quatro grandes (Grã-Bretanha, Àustria, Prússia e Rússia) naquele congresso. Reino Unido a Portugal: breve, mas, significativo momento na História das Relações Internacionais do Brasil, pelo embaixador Luiz Felipe Seixas Corrêa do IHGB/CIBRE, que não podendo estar presente teve a sua conferência apresentada pelo presidente Arno Wehling, onde foi relatado as diversas implicações diplomáticas e os seus desdobramento para o Brasil, decorrente daquela união.

Outras palestras e debates se seguiram, inclusive no dia 15 de outubro.
Encerrando o Congresso tivemos a conferência: Quadros jurídicos do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves, pelo professor Rui Marcos da Universidade de Coimbra, que traçou um panorama das instituições jurídicas advindas da condição da elevação à condição de Reino pelo Brasil, seu funcionamento e alguns desdobramentos teóricos e práticos no direito luso-brasileiro em face dessa nova realidade política. Valendo aqui destacar a grande participação do nosso representante Luís Severiano Soares Rodrigues nas discussões ensejadas ao longo do congresso, o Instituto Brasil Imperial parabeniza o IHGB, bem como as demais instituições envolvidas na organização desse congresso, pelo feliz êxito alcançado na sua realização, bem como a grande contribuição ao estudo desse período da nossa história.

b2f2f796ee4fb393833883e2113f35f632052024.png

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.