A DEVOÇÃO DA REDENTORA

Pró Monarquia –  12 de outubro de 2014 às 09:59 ·

1922174_1547418078828110_3899819650912257753_nHoje se comemora o feriado nacional em honra a Nossa Senhora da Conceição Aparecida, em virtude desta comemoração apresentamos o histórico de devoção da Princesa Dona Isabel à Rainha e Padroeira do Brasil.

A Princesa Imperial do Brasil, Dona Isabel, durante os onze primeiros anos de casamento não gerou herdeiros, tendo dificuldade para engravidar, sofreu muito publicamente devido à sua posição, pois teve vários abortos e a primeira gravidez que conseguiu levar até os nove meses foi frustrante, resultando no nascimento de uma natimorta, batizada Luísa de Orléans e Bragança, em um parto doloroso e muito difícil.

Sem mais esperanças, a Princesa apoiou-se em sua devoção a Nossa Senhora Aparecida, pedindo fervorosamente a concessão de um herdeiro para o Trono do Brasil e dedicando-se à manutenção da Igreja de Petrópolis, limpando e adornando com flores frescas diariamente. Finalmente, em 15 de Outubro de 1875, foi-lhe concedida a graça, dando à luz ao Príncipe do Grão-Pará, Dom Pedro de Alcântara, após um trabalho de parto difícil e arriscado que durou 13 horas. Após o nascimento do Príncipe do Grão-Pará, Dona Isabel deu à luz a mais dois herdeiros, o Príncipe Imperial Dom Luís Maria, avô do atual chefe da Casa Imperial do Brasil Dom Luiz Gastão, e Dom Antônio.

A Princesa Imperial esteve duas vezes como romeira no Santuário de Aparecida, a primeira em Dezembro de 1868 acompanhada do Conde d’Eu, quando ofereceu a Nossa Senhora um manto, com as 21 províncias brasileiras representadas em brilhantes, realizando fervorosamente o pedido por um herdeiro para o Império do Brasil, varrendo toda a Igreja e colocando um punhado de poeira dentro do vestido, cumprindo a tradicional promessa realizada pelos devotos que solicitavam auxílio a Nossa Senhora Aparecida.
A segunda vez ocorreu em 6 de novembro de 1884, quando, acompanhada de seus três filhos, em agradecimento às graças alcançadas, ofereceu uma Coroa de 14 centímetros de altura e 11 de largura, feita com 300 gramas de ouro 24 quilates e cravejada com 40 diamantes, atualmente ostentada pela imagem de Nossa Senhora Aparecida, tendo a imagem somente sido coroada em 8 de Agosto de 1904, por decreto do Papa Pio X.

Mesmo exilada, até sua morte, a Princesa Dona Isabel acompanhou e auxiliou à distância as festividades de Nossa Senhora Aparecida, sempre muito agradecida pelas graças que alcançou.

Imagem: “O Príncipe do Grão-Pará com seus pais”, Karl Ernst Papf, 1877.

Leave a Reply